Energias Alternativas

A BP tem no seu portefólio vários negócios na área das energias renováveis que complementam o seu negócio principal

A BP detém atualmente o maior negócio na área das energias renováveis no conjunto das sua explorações de petróleo e gás. As nossas atividades estão focadas nos biofuels e na energia eólica onshore.

Biocombustível

Os biocombustíveis podem ser misturados nos combustíveis tradicionais sem que seja necessário fazer modificações significativas nos motores ou no atual sistema de distribuição de combustível. No nosso negócio de biofuels no Brasil a BP produz Etanol a partir da cana-de-açúcar e Eletricidade a partir dos resíduos desta matéria-prima. 

Em parceria com a DuPont, estamos também a investir no desenvolvimento do Biobutanol, cujas vantagens, em comparação com os outros biocombustíveis, residem no facto de poder ser misturado com outros combustíveis em maior proporção, ser mais fácil de transportar, armazenar e gerir.

Na BP, estamos cientes de que a sustentabilidade dos biocombustíveis pode variar bastante de acordo com as condições agrícolas e as matérias-primas utilizadas. Por isso, planeamos os nossos investimentos nesta área e gerimos o nosso negócio de forma a salvaguardar as preocupações levantadas por este tipo de matérias-primas ao nível da segurança alimentar, da água, e de outros possíveis impactos ao nível da sustentabilidade, sempre com total responsabilidade para com a comunidade junto da qual desenvolvemos a nossa operação.

Energia Eólica

A BP detém participações em 16 parques eólicos onshore nos EUA. A nossa capacidade líquida de gerar energia a partir deste portefólio é de 1,5556 megawatts de eletricidade, ou seja, o equivalente para fornecer energia a todas as casas de uma cidade com a dimensão de Dallas. Calculamos que as nossas operações ao nível da energia eólica tenham ajudado a reduzir as emissões de CO2 em 2015 em cerca de 2.7 milhões de toneladas.

Fora dos Estados Unidos, a BP gere ainda dois parques eólicos situados nas refinarias da Holanda, que ao operar numa escala bastante menor têm uma capacidade de gerar 32 megawatts, o que ainda assim permitiu evitar a emissão de cerca de 20.000 toneladas de CO2.