Ambiente

A BP trabalha para evitar, minimizar e mitigar os impactos ambientais onde quer que faça negócios.

Durante todo o ciclo de vida dos nossos projectos e operações, o nosso objectivo consiste em gerir os impactos ambientais e atender os eventuais impactos na comunidade local. Nós gerimos os impactos ambientais e sociais das nossas operações e projectos através do nosso sistema de gestão operacional (OMS). Isto ajuda os nossos negócios pelo mundo a gerir os seus impactos em todo o ciclo da vida operacional.

Angola

Conferimos a máxima importância à gestão do impacto ambiental de todas as nossas actividades.

Em Angola, as nossas principais operações ocorrem no mar, mais de 100 quilómetros dos centros populacionais. A nossa política de higiene, segurança, protecção e ambiente (HSPA) define as nossas aspirações de desempenho de SSA nas nossas operações. Os potenciais impactos ambientais das nossas actividades enquadram-se, principalmente nas seguintes áreas:

A produção, gestão e eliminação de resíduos

Os resíduos perigosos e não perigosos são produzidos a partir das operações da unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência (FPSO), plataformas e locais de logística.

Descargas operacionais

Isto inclui as aparas de perfuração geradas aquando da perfuração no fundo do mar para a construção de um poço. A lama ou fluidos de perfuração podem aderir às estacas e quando descartados no mar podem assentar-se e constituir depósitos no fundo do mar. A principal descarga do processo a partir das FPSOs é a água do mar quente proveniente do sistema de refrigeração que contém vestígios de produtos químicos. Periodicamente, a água produzida com um pouco de petróleo pode também ser descarregada, dependendo dos volumes produzidos e o estado das instalações.

Emissões atmosféricas

As emissões atmosféricas são produzidas, principalmente, da queima de combustíveis na geração de energia para a perfuração, embarcações marítimas, as operações das FPSOs, emissões fugitivas, operações de limpeza e  teste do poço. 

Derrames acidentais

Se ocorrer um incidente e forem liberados petróleo ou produtos químicos para o meio ambiente, essas substâncias têm o potencial para poluir as águas e terras, afectando a flora e a fauna, bem como os usuários que dependem desses recursos.

Ruído subaquático

O ruído subaquático resulta de perfis sísmicos verticais realizados durante as operações de perfuração e sondagens sísmicas regionais durante a pesquisa. O ruído induzido na coluna de água tem o potencial de afectar a fauna marinha. Os efeitos potenciais sobre os mamíferos marinhos são particularmente preocupantes.

África do Sul

A BP South Africa é membro da Fundação Rose desde a sua criação em 1995.

A criação da Fundação Rose

A Fundação é uma organização sem fins lucrativos que administra a ambientalmente aceitável recolha, armazenamento e reciclagem de óleo lubrificante usado na África do Sul.

Na sequência da retirada pelo governo do apoio à indústria de refinação de óleo usado em Abril de 1994, as grandes empresas de lubrificantes decidiram assumir a ajuda para proteger o meio ambiente dos efeitos do aterro e queima irresponsáveis do óleo lubrificante usado, através da constituição e financiamento da Rose Foundation.
Desde a sua criação, os membros da Fundação investiram R75.3 milhões na recolha do óleo usado, a construção de depósitos de armazenamento do óleo usado, o fabrico de mini-tanques para o óleo usado e publicidade referente à consciência ambiental.

A Fundação é um feito único para a indústria de lubrificantes, uma vez que os actores da indústria constituíram e financiaram voluntariamente uma organização para resolver um problema ambiental. Esperamos ver as indústrias de lubrificantes