1. Home
  2. Comunidade
  3. Brasileiros no bp Global STEM Academies

Brasileiros no bp Global STEM Academies

Jovens na vanguarda para enfrentar um dos maiores
desafios da atualidade, nos contam suas ideias para transformar o mundo para melhor enquanto participam do bp Global STEM, nosso programa de intercâmbio cultural em parceria com a AFS.

Ana Cecília Oliveira - Macapá/AP

Eduarda Lazamé - Santana/AP

“Tem sido incrível poder conhecer os outros participantes e suas culturas, poder debater sobre diversos assuntos e já criar laços de amizade antes da nossa viagem. Sem dúvida, tem sido uma oportunidade intelectual única e uma excelente experiência de aprendizado". 

"Inovação e oportunidade de avanço”, é assim que Ana Oliveira define STEM. A jovem de 16 anos, de Macapá-AP, vê a ciência e a tecnologia como essenciais para desenhar as mudanças que o mundo precisa. Apaixonada por essas disciplinas ela tem aproveitado cada minuto de interação com os demais colegas do bp Global STEM Academies. “Tem sido incrível poder conhecer os outros participantes e suas culturas, poder debater sobre diversos assuntos e já criar laços de amizade antes da nossa viagem. Sem dúvida, tem sido uma oportunidade intelectual única e uma excelente experiência de aprendizado”, comenta.
Ana não conhecia os objetivos globais de desenvolvimento sustentável, entretanto com o que já aprendeu no programa já reconhece o valor deles para a nossa sociedade. Ela acredita que os SDGs têm um papel muito importante: de reconhecer as dificuldades que o mundo enfrenta hoje e torná-las conhecidas para que mais pessoas possam combatê-las. O objetivo 6, Água potável e saneamento é o mais urgente na concepção de Ana. “Em minha região, esses temas poderiam ser tratados com mais prioridade. Mais investimentos em ciência e tecnologia poderiam ajudar no desenvolvimento  de sistemas de saneamento acessíveis para todos”, finaliza.

“O nosso progresso passa por mais investimento na educação e valorização dos nossos professores, mas também é preciso que os nossos líderes tenham esses tópicos como prioridade”.

“As áreas de STEM nos ajudam a entender o mundo e fazer dele um lugar melhor”, é assim que Eduarda Lazamé, 17 anos, natural de Santana-AP, analisa a importância das ciências em nossas vidas.  Seu interesse por explorar diferentes culturas e vivenciar novas experiências foi o que a levou ao programa bp STEM Academies. Os quase dois meses de sessões on-line com estudantes de vários países trouxeram novas perspectivas para Eduarda, que se sente estimulada a pensar fora da caixa e ampliar seus horizontes. “Além de aprender sobre outras pessoas, regiões e culturas, acabamos aprendendo muito sobre nós mesmos e sobre o nosso entorno, interagir com todos tem sido uma experiência muito interessante”, conta. O objetivo de desenvolvimento sustentável Educação de Qualidade é o mais urgente, na visão da estudante. “O nosso progresso passa por mais investimento na educação e valorização dos nossos professores, mas também é preciso que os nossos líderes tenham esses tópicos como prioridade” finaliza.

João Lucas Oliveira de Souza - Ituiutaba/MG

José Rafael Scalise - Campinas/SP

Desde pequeno, João Lucas, de 16 anos, de Ituiutaba-MG, sempre sonhou em poder transformar o mundo de alguma forma. Ao saber que uma estudante de sua cidade estava no Egito, participando do bp Global STEM, passou a pesquisar e se inscreveu no programa. “Sinto-me muito realizado por poder participar dessa experiência. Se eu pudesse definir STEM em duas palavras seriam desenvolvimento e esperança, pois essas áreas são capazes de superar os obstáculos ainda não propostos pela humanidade”, conta João, que desde o ensino fundamental vem trabalhando com pesquisas científicas e apresentando em feiras de ciências de universidades renomadas no país.  Enquanto a viagem não acontece, João aproveita ao máximo experiência virtual com os demais estudantes do programa, ele se dedica ao aprofundamento dos conhecimentos adquiridos e interage bastante com a turma. “Acho que em meio as controvérsias devido a pandemia, tem sido uma experiência incrível, pois me proporciona um espaço de recreação e socialização, neste tempo de distanciamento físico, a aproximação virtual, tanto com os participantes do programa quanto com os instrutores tem me motivado bastante. A empatia e o carinho me fazem sentir acolhido”.  Os conteúdos preferidos de João, são os que propõem melhorar as habilidades como cidadãos globais responsáveis pelo amanhã. Considerando sua realidade local, João elegeu o objetivo 2 - Fome zero e agricultura sustentável como uma prioridade. Ele acredita que a tecnologia de ponta, modernização e mais investimento em pesquisas fariam diferença no combate a fome, na segurança alimentar e na promoção de uma agricultura sustentável. “Além de melhora nas práticas sustentáveis, essas iniciativas trariam também mais oportunidades para jovens desenvolverem os seus potenciais em STEM”, conclui.

 

“Os objetivos sempre me chamaram atenção, pois penso que podem contribuir para acabar com as desigualdades, proteger o meio ambiente, o clima e tornar o nosso mundo um lugar mais próspero para todos. Acredito que uma pessoa com educação de qualidade e equitativa pode ter iniciativas que ajudem a resolver os demais objetivos globais de desenvolvimento sustentável ou mesmo questões nas próprias comunidades“.

Além de contemplar jovens das comunidades no entorno das operações da bp, o programa bp Global STEM, também é aberto aos filhos de colaboradores da bp. José Rafael Scalise, de 15 anos, é um deles. Filho de José Renato Scalise, gerente de contas da Castrol, ele viu na oportunidade, a possibilidade de aprender mais sobre STEM e sobre outras realidades.  “A ciência, tecnologia, engenharia e matemática são facilitadores de nossa rotina, promovem inovação e avanços significativos para a humanidade”, comenta. 

Foi na escola que José Rafael teve o primeiro contato com os objetivos de desenvolvimento sustentável, e agora pode se aprofundar melhor em cada um deles, enquanto participa do programa. “Os objetivos sempre me chamaram atenção, pois penso que podem contribuir para acabar com as desigualdades, proteger o meio ambiente, o clima e tornar o nosso mundo um lugar mais próspero para todos. Acredito que uma pessoa com educação de qualidade e equitativa pode ter iniciativas que ajudem a resolver os demais objetivos globais de desenvolvimento sustentável ou mesmo questões nas próprias comunidades“, finaliza.

 

Lucas Sardo - Santana/AP

Murilo Franco - Edéia/GO

“Acredito que uma melhor distribuição de renda e a criação de novas políticas públicas que amparem as pessoas que carecem do acesso ao ensino sejam uma das maneiras de alcançar uma educação de qualidade e isso também passa pela escolha consciente dos representantes políticos”.

Foi a busca por aprender mais sobre as áreas de STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática), conhecer novas culturas e lugares diferentes que levou Lucas Sardo, 16 anos, residente de Santana, no Amapá, a se inscrever no programa de bolsas de intercâmbio da bp. “Essas disciplinas representam a possibilidade de alcançarmos lugares jamais alcançados e a chance de construir o sonho de um futuro mais sustentável e igualitário”.

Lucas conta que a experiência de poder se aprofundar nos 17 objetivos globais durante as sessões online, tem sido enriquecedora e reflexiva, ele elegeu o objetivo 4 - Educação de Qualidade como prioridade para um futuro mais igualitário.

“Acredito que uma melhor distribuição de renda e a criação de novas políticas públicas que amparem as pessoas que carecem do acesso ao ensino sejam uma das maneiras de alcançar uma educação de qualidade e isso também passa pela escolha consciente dos representantes políticos”, complementa.

Murilo, de Edéia-GO, é o mais novo da turma de brasileiros participantes do bp Global Academies 2020. Com 15 anos, e um grande interesse em engenharia, sistemas eletrônicos e da computação, ele tem aproveitado a oportunidade para aprender mais sobre novas culturas e novas formas de ver o mundo. “Tenho muita curiosidade sobre os mistérios do universo como um todo, sobre as leis da física, por isso valorizo muito as disciplinas de STEM. Elas representam todo o conhecimento que usamos para entender como o universo no geral funciona”.

Foi por meio de um trabalho de geografia na escola, que Murilo teve contato com os objetivos globais de desenvolvimento sustentável, ele acredita que eles são capazes de causar mudança muito positiva para as pessoas e para o planeta. “Se alcançados, os objetivos deixarão um futuro melhor, com pessoas melhores mais responsáveis, e permitirão que nossos ecossistemas sobrevivam e prosperem novamente, e consequentemente, permitirão que nós sobrevivamos em nosso planeta”.

Além de discutir os desafios que o mundo enfrenta, os encontros online permitem que os alunos reflitam também sobre as questões que mais impactam suas regiões, e em grupo debatem os caminhos para a solução desses problemas. “O objetivo Educação de qualidade é a chave de tudo em minha opinião, pois acredito que a grande maioria dos demais objetivos pode ser resolvido por meio de maior investimento na educação, valorização dos professores e melhor infraestrutura escolar”, explica.

 

Sophia Amorim - Itumbara/GO

Victor Gabriel - Macapá/AP 

“Os objetivos globais são muito importantes como norteadores da nossa geração e das que ainda virão, se pudesse escolher, por onde começar, seria pela educação de qualidade para todos e a saúde de qualidade universal também. Se esses objetivos fossem melhor desenvolvidos seria um grande avanço, principalmente para as pequenas cidades do entorno de Itumbiara-GO, que carecem de infraestrutura”.  O sonho de fazer um intercâmbio e o incentivo da família, foram decisivos para Sophia se inscrever no programa bp Global STEM. Natural de Itumbiara-GO, a estudante técnica de química de 16 anos é apaixonada por ciência e tecnologia e acredita que no futuro essas disciplinas deverão ser parte do currículo escolar de todos os alunos. “O programa da bp veio na hora certa, tem sido bastante divertido poder conversar com jovens de outros países e ver o que eles pensam sobre as atualidades e perceber as nossas similaridades”. Ao falar sobre a área de STEM, Sophia demonstra um encantamento especial, pois desde cedo teve muito contato com tecnologia e computadores, por meio de seu pai que era técnico em informática. “STEM representa inovação pra mim e faz parte da minha vida e rotina, sem dúvida me vejo trabalhando em algo relacionado daqui a alguns anos”.  Foi no programa que Sophia conheceu os objetivos de desenvolvimento sustentável, as discussões em grupo a fez refletir sobre as questões mais urgentes de sua realidade local. Para ela mais investimento em saúde e educação fariam a diferença na região em que vive  “Os objetivos globais são muito importantes como norteadores da nossa geração e das que ainda virão, se pudesse escolher, por onde começar, seria pela educação de qualidade para todos e a saúde de qualidade universal também. Se esses objetivos fossem melhor desenvolvidos seria um grande avanço, principalmente para as pequenas cidades do entorno de Itumbiara-GO, que carecem de infraestrutura”. 

“A educação é o começo de tudo, se apostarmos na educação como agente de mudança, certamente colheremos frutos em forma de novos cientistas, pessoas mais conscientes, mais engajadas, mais visionárias, que certamente poderão fazer o futuro ser melhor do que é agora”. 

Para o macapaense Vitor Gabriel, de 17 anos, as áreas de STEM são a base para o avanço humano e tecnológico. Foi sua paixão por ciências exatas e geociência que o levou ao programa bp Global STEM, onde tem contato com outros jovens do mundo inteiro e oportunidade de conhecer novas culturas aprender sobre novas tecnologias e possibilidades de carreira no futuro. “A experiência tem sido incrível, tanto pelo conhecimento adquirido que tem expandido a minha forma de entender o mundo como pela liberdade em falar inglês”, conta.

Vitor já conhecia os objetivos globais de desenvolvimento sustentável e acredita que são essenciais para a construção de um mundo mais igualitário em termos de oportunidades e infraestrutura. Ele apontou a Educação de Qualidade como muito importante nesse processo. “A educação é o começo de tudo, se apostarmos na educação como agente de mudança, certamente colheremos frutos em forma de novos cientistas, pessoas mais conscientes, mais engajadas, mais visionárias, que certamente poderão fazer o futuro ser melhor do que é agora”, projeta.

Vitor Emanuel - Ituiutaba/MG

“Nunca tinha tido a oportunidade de participar de algo parecido, estamos só no início, mas estou achando incrível conversar com jovens e discutir sobre os desafios globais e de que forma podemos contribuir para soluções". 

O jovem Vitor Emanuel Barbosa, de 16 anos, natural de Ituiutaba-MG sempre gostou de estudar e aprender, principalmente sobre matemática e ciências, suas disciplinas preferidas. A vontade de ajudar outras pessoas, aprofundar seus conhecimentos, descobrir novas culturas e melhorar o inglês, foram os fatores que o motivaram se inscrever no programa.“Nunca tinha tido a oportunidade de participar de algo parecido, estamos só no início, mas estou achando incrível conversar com jovens e discutir sobre os desafios globais e de que forma podemos contribuir para soluções”, comenta.

Vitor não conhecia os objetivos globais de desenvolvimento sustentável e o conhecimento adquirido despertou a vontade de compartilhar tudo o que tem aprendido com familiares e amigos. “São 17 objetivos interconectados que abordam os principais desafios de desenvolvimento enfrentados por pessoas no Brasil e no mundo, e se forem alcançados podem salvar o nosso planeta”, comenta Vitor, que começaria a transformação em sua cidade pelo objetivo 4, Educação de Qualidade. “É preciso gerenciar melhor os recursos para educação, melhorar a infraestrutura nas escolas e garantir o acesso à uma educação inclusiva a todos”, explica.