BP discute futuro da mobilidade e energia

Anabela Silva, diretora de marketing e comunicações externas da BP, participou no painel sobre o Futuro da Mobilidade e Energia: Reinventar a Roda, no âmbito do Portugal Digital Summit 2018.
No decorrer do fórum, a BP deixou claro que já está a fazer parte das mudanças necessárias para tornar mais sustentável o nosso planeta, nomeadamente através do uso de tecnologias. Esta é uma oportunidade para contribuir para a eficiência e sustentabilidade de cidades, produtos e da própria mobilidade. Por ter consciência deste facto, a BP está a trabalhar para continuar a ser um aliado dos seus consumidores nesta área.
Entre os desafios enumerados está a necessidade de produtos com consumos mais eficientes com vista à com redução de emissões de carbono. O negócio da BP está por isso organizado no sentido de entregar produtos energéticos de alta qualidade com formulações específicas e diferenciadas em todo o mundo. A BP está também empenhada em acompanhar as metas do "advance low carbon transition" e investe bastante no conhecimento acerca das novas formas de mobilidade: dos carros elétricos aos autónomos, passando pela necessidade de energia mais limpa para esses veículos. 
De acordo com Anabela Silva, para que mais aconteça “é necessário estabilidade, o que nem sempre acontece, deixando investimentos a meio, porque as tecnologias não tiveram tempo para ser consolidadas.” 
A BP está a fazer acontecer oferecendo aos consumidores e entidades públicas as soluções energéticas que amanhã serão uma das respostas a estes desafios. Não há uma resposta única, por isso, em todos os cenários em que trabalham, apresentam uma diversificação de portefólio e não apenas uma solução. A tecnologia vai resolver problemas, encontrando soluções, mas não de uma forma singular. 
Mantendo-se a par das importantes tendências emergentes, e à medida que o mundo da mobilidade evolui, uma parte fundamental do papel da BP ajudar os consumidores a adaptarem-se à nova tecnologia.
“Para isso é preciso educar as novas gerações para que todo este ciclo não seja interrompido, pois pouco nos serve apresentar soluções inovadoras se depois na prática continuamos a ter os mesmos comportamentos”, sublinha a diretora de marketing e comunicações externas da BP.